+55 11 5505-1325

Posted by admin on março - 29 - 2017 | 0 Comment

Como saber se sou Accountable? Em que nível estou? Qual o próximo passo? Como ser mais Accountable?

Essas e outras perguntas surgem, depois que conhecemos o conceito.

Queremos ser 100% Accountable, porém, vocês verão através dessa classificação que ser 100% Accountable acontece apenas em casos extremos, e que dependendo da situação, o nosso nível de Accountability varia. Assim como para os líderes, existem níveis de liderança, porém, ele varia em relação ao liderado e à situação em que se encontra.

“Não basta termos o aplicativo de Accountability pré-instalado dentro de nós. O importante é que ele esteja ativo. Como saber em que versão estamos atuando? Qual o nível da nossa Accountability? Como chegar ao ponto de equilíbrio entre o esforço para ser Accountable e o resultado percebido?

A seguinte classificação por níveis foi feita para facilitar nossa compreensão, para nos ajudar a perceber que é sempre possível ir para um patamar superior de Accountability, independentemente do nível que já estamos. Trata-se de uma tentativa de quantificar e representar com percentuais tal conceito tão abstrato:

  • Nível 1:

Percebe e assume 10% das oportunidades de tomar a responsabilidade para si, deixando os 90% restantes para as “circunstâncias” (os pais, a escola, o chefe, o mercado, etc.).

Agem nesse nível crianças mimadas ou adultos com seríssimos problemas de convívio social.

  • Nível 2:

Percebe e assume 20% da responsabilidade, deixando os 80% restantes para as circunstâncias.

Agem nesse nível crianças mimadas, adolescentes problemáticos, adultos imaturos ou, em casos mais graves, adultos com Transtornos de Personalidade Narcisista. No DSM esse transtorno está descrito, bem como seus parâmetros para seu diagnóstico. Entre eles estão:

Sentimento de grandiosidade; o comportamento de não aceitar os próprios erros; culpar os outros pelo problema; falta de empatia, mesmo com os membros da própria família; entre outros.

  • Nível 3:

Percebe e assume 40% da responsabilidade e culpa as circunstâncias por 60% das ocasiões que não a assumiu.

Agem nesse nível adultos comuns.

Grande parte da sociedade atua dessa forma, com pequenas variações no percentual, dependendo da educação recebida em casa, na escola e principalmente, na “escola da vida”.

A cultura organizacional do primeiro emprego pode ajudar muito, porque uma “mente fresca” jovem é um terreno em condições de ser cultivado.

  • Nível 4:

Percebe e assume 60% das responsabilidades à sua volta e deixa para as circunstâncias os 40% restantes.

As pessoas que agem nesse nível também são pessoas comuns, são adultos normais. Profissionalmente mostram-se motivados. Talvez sejam novos na empresa, ou na função. Se forem colaboradores antigos, podem ter sido motivados por alguma campanha de incentivo pontual, que os transforma temporariamente em colaboradores melhores.

Também atuam nesse nível gestores cujas empresas têm “mercado cativo”, com poucos concorrentes fortes (às vezes, nenhum), o que lhes permite sobreviver com baixa performance.

  • Nível 5:

Percebe e assume 80% das responsabilidades à sua volta e responsabiliza as circunstâncias por apenas 20% dos seus fracassos ou das responsabilidades recusadas.

Agem nesse nível as Pessoas Excelentes, os Accountables. Todos nós podemos ser assim, se o desejarmos.

Também agem assim os gestores cujas empresas atuam em mercado de alta performance, lidando com fortes concorrentes nacionais e globais.

  • Nível 6:

Percebe e assume 100% da responsabilidade, não delegando absolutamente nada para outros e jamais responsabilizando as circunstâncias.

Esse nível de atuação é praticado por quem é SuperAccountable e pode ser percebido em 2 situações:

- Em uma atuação saudável, em situação de necessidade extrema, em casos de vida ou morte, quando a sobrevivência está em jogo. Nesses casos, a pessoa reúne toda a sua energia e esperança para encontrar socorro, indo muito mais além da capacidade de uma pessoa comum. Essa é a principal característica entre sobreviventes de tragédias- buscar ajuda e não ficar parado.

- E em uma atuação não saudável, quando uma pessoa assume responsabilidades que já não deveriam ser suas. É o caso de idosos que, depois de aposentados, ainda trabalham para sustentar seus filhos e netos, com uma rotina intensa de trabalho, quando deveriam apenas receber carinho e atenção dos seus. São verdadeiros heróis em nossa sociedade, carregando um peso enorme. Esse nível de atuação não é saudável nem para a pessoa que age, nem para os que estão se beneficiando dela.

É claro que podemos atuar em diferentes níveis, dependendo da situação, dos desafios em jogo, do ambiente, do cargo e da nossa autonomia. Há pessoas que funcionam em níveis diferentes na vida profissional e na familiar.”

Como vocês podem ver, 100% Accountable só acontece em casos bem isolados. Entretanto, chegar aos 80% também não é fácil, mas totalmente possível, basta querer e trabalhar para isso. E é para isso que estamos aqui, para ajudá-los na caminhada da evolução na nossa sociedade, para eliminarmos de vez uma cultura de desculpas e corrupção. Essa batalha não começa no reflexo dos nossos políticos e sim em nós mesmos, dentro da nossa casa, com os nossos vizinhos, no nosso bairro, no nosso trabalho, etc. Nos tornando exemplos e inspirando àqueles que estão ao nosso redor.

Rumo a uma sociedade mais Accountable, com empresas mais Accountables e governos mais Accountables. Rumo à evolução da nossa espécie.

E você, em que nível está atuando pessoalmente e profissionalmente?

Tiramos esse trecho do livro “Accountability- A evolução da responsabilidade pessoal”, escrito por João Cordeiro e publicado em parceria com a editora Évora.