+55 11 5505-1325

Posted by admin on junho - 21 - 2017 | 0 Comment

Percebemos que muitas pessoas ainda confundem a palavra Accountability com contabilidade. É normal, eu mesmo quando ouvi essa palavra pela primeira vez foi a primeira coisa em que pensei.

E tem mesmo a ver?

Sim! Tem a ver, porém, muitos não conhecem as variáveis desta palavra, e aqui vamos mostrar suas vertentes e dar ênfase aos assuntos que abordamos: Accountabiliy Pessoal e Corporativa.

Seguem as 4 vertentes:

1- Contábil

Essa é a primeira relação que normalmente as pessoas fazem, e não o julgamos se você também fez isso. Ela está relacionada com a prestação de contas em assuntos relacionados à contabilidade, seja em uma empresa, em um governo, em uma instituição, ou dentro de casa.

A história que explica essa definição é que quando os povos antigos começaram a crescer, eles passaram da vida nômade para então se fixarem em pequenas vilas, aldeias e, tendo em vista a organização, pessoas eram eleitas para liderarem, outras para tomarem conta dos animais, outras das plantações e outras, claro, da parte financeira, que naquela época era representada pela troca de produtos, pois ainda não existia o dinheiro em espécie.

Sendo assim, quando um cidadão morria, cabia a essa pessoa (“contador”) procurar a família e prestar contas de tudo o que tinha sido registrado em nome do falecido, contas a pagar, dívidas a acertar, se tivesse algo a receber, etc. Observe que neste contexto está implícita a postura proativa da pessoa que detém as informações.

Ou seja: quem tem a posse das informações tem o dever de procurar a outra parte, para compartilhar o que sabe, sem esperar que alguém o procure.

Dessa maneira a Accountability pessoal foi se desenvolvendo.

2- Accountability Pessoal

Essa palavra não tem uma tradução/definição específica em português, depois de anos de pesquisa, João Cordeiro criou a própria definição, porém, primeiro vamos traduzir exatamente o significado do dicionário da língua inglesa. A princípio, se você buscar no tradutor do Google, aparecerá como ” responsabilidade”, mas ser Accountable vai muito além de ser responsável.

“The obligation of an individual or organization to account for its activities, accept responsibility for them, and to disclose the results in a transparent manner. It also includes the responsibility for money or other entrusted property. “

Definição retirada do dicionário de negócios, que é a área onde mais utilizamos esta palavra. E a tradução:

“ A obrigação de um indivíduo ou organização de prestar contas por suas ações, assumir a responsabilidade por elas e divulgar os resultados de forma transparente. Inclui também a responsabilidade pelo dinheiro ou por outra propriedade confiada. “

Em nossas palavras, gostamos de definir como a maneira de pensar como o dono da situação e trazer a responsabilidade da tarefa para si, transformando em respostas com resultados de forma transparente e genuína.

Se você analisar, tem tudo a ver com o “contador” da antiguidade, porém, aqui já passamos para o lado pessoal. Ao invés de tomar conta da parte financeira da vila inteira, o indivíduo é responsável por assumir atitudes e comportamentos éticos no meio em que vive, e de forma transparente comunicá-los a todos.

Sendo chamada de virtude moral, essa é uma habilidade que leva a pessoa a crescer acima e além das circunstâncias, fazendo tudo o que está ao seu alcance para atingir os melhores resultados, principalmente no que se refere às responsabilidades do dia a dia, tanto no ambiente familiar quanto no profissional.

É um estado de espírito, uma filosofia de vida, que se instala na mente da pessoa, levando-a a ter coragem de perguntar a si mesma: “Como posso contribuir? ”, ou “Como posso fazer diferença para ser melhor? ”

Sem Accountability Pessoal, não existe Accountability Corporativa.

3- Accountability Corporativa

Você já deve estar imaginando o que essa vertente significa. Isso mesmo, é uma consequência da Accountability Pessoal de cada indivíduo dentro de uma empresa.

Não é possível existir esta vertente se o topo da empresa e seus gestores não forem Accountables. Isso é uma virtude cuja iniciativa se dá na cultura da empresa, seguida dos exemplos superiores e contagiando o restante dos colaboradores.

É muito difícil pensar em colaboradores Accountables onde nem o topo, nem os seus gestores agem de forma Accountable.

Não é uma tarefa fácil, pois provoca a autoanálise das suas próprias atitudes e comportamentos, e vamos concordar que ninguém gosta de estar “errado”, assumir que está errado e ainda buscar a mudança. Entretanto, aqueles que têm a coragem de assumir esta responsabilidade fazem a melhor escolha de suas vidas, trazendo uma sensação mais íntegra e completa da experiência de ser humano e compartilhar isso com outros.

Para ficar ainda mais compreensível, dividimos esta virtude moral em 10 comportamentos que podem ser identificados quase todos os dias que interagimos com outras pessoas, dentre eles estão o interesse genuíno, assumir consequências de suas escolhas e decisões, ser transparente, etc.

Estando consciente desses comportamentos e evitando os comportamentos opostos à Accountability, que definimos como a Desculpability (habilidade de gerar desculpas), o indivíduo fica mais próximo de atingir a excelência, contagiando aqueles ao seu redor que acabam se inspirando e seguindo os seus passos.

E por último, mas não menos importante (dependendo do ponto de vista, a mais importante).

4- Accountability Governamental

Se uma é a prestação de contas do estabelecimento, a outra de suas atitudes e comportamentos, a Governamental só pode ser do Governo para o seu povo, certo!?

Exato! Mas como é alcançada?

A Accountability Governamental está ligada à prestação de contas pelas ações do governo central, dos ministérios e de outros órgãos. Deve ser praticada por políticos e funcionários públicos. Alguns países têm departamentos ou secretarias específicos para isso.

Nos Estados Unidos, por exemplo, há o GAO – U.S. Government Accountability Office, com sede na capital, Washington. O GAO é totalmente independente e funciona como um cão de guarda da Constituição e de seus valores. Não está ligado a nenhum partido.

Sua missão é prestar contas ao Congresso sobre as ações dos demais órgãos federais, avaliando sua integridade e a consistência na qualidade de entrega dos seus trabalhos.

Aí você pode estar pensando: Ahhh, mas aqui no Brasil isso não é possível.

Pensando pelo lado otimista e positivo, “ Como tudo é possível, ousemos fazer rumo ao impossível. ” – Agostinho da Silva

Brincadeiras à parte, é possível sim!  Pelas ações demostradas por cada indivíduo e que começam a refletir nos demais. Já pensou quando boa parte dos envolvidos com o governo começarem a entender e praticá-las, e que sendo transparentes e honestos (DE VERDADE) poderemos alcançar resultados muito melhores como uma nação?

Hoje ocupamos a posição de número 7 entre as maiores economias do mundo, e estudos de economistas mostram que poderemos ganhar 2 posições até 2050. Em contra – partida, no ranking de países mais corruptos, ocupamos a posição de número 76.

Apenas uma observação: mesmo não existindo um ranking de países Accountables, no site Transparency International que mostra o ranking de países mais corruptos, a palavra Accountability é mencionada inúmeras vezes. E isso quer dizer que países não corruptos têm um nível de Accountability Governamental elevado.

Se do jeito que estamos hoje, ocupamos a posição de número 7 no ranking de melhores economias, imagine se o nosso governo adotasse a prática da Accountability? O que você pensa que poderia acontecer?

Sermos top 3 na economia? Um país exemplo de governança? Um país ainda melhor para se viver, com mais segurança, melhor educação, saúde, etc?

Infelizmente ainda estamos um pouquinho distantes desta realidade, mas o primeiro passo é conhecer esta nova vertente e então assumir este fato de que é completamente possível reverter esta situação e acredito que todos torcemos para que isso aconteça.

Enquanto assistimos essa peça governamental, podemos agir dentro de casa, no trabalho, na educação das crianças, mostrando que um mundo melhor é indiscutivelmente possível e depende apenas de nós assumirmos essa responsabilidade e colocar as mãos na massa, afinal, todos estamos em construção e podemos mudar as ferramentas da evolução a qualquer momento!

Rumo a essa transformação juntos!