+55 11 5505-1325

Posted by admin on junho - 28 - 2017 | 0 Comment

Essa palavra (procrastinação) vem assombrando muitas mentes ultimamente e decidimos falar sobre esse assunto usando as lentes Accountable.

Podemos concordar que procrastinar é uma palavra negativa que traz uma conotação oposta da Accountability. Portanto, ela deve ser tratada pelos olhos da Desculpability, que também faz parte da Accountability.

Considerando que Desculpability é a habilidade de criar desculpas e procrastinar é o ato de adiar, esperar até o último momento para executar uma tarefa, muitas vezes depois de procrastinar algo, é necessária uma desculpa para justificar o trabalho mal feito, ou até o não feito.

Todos nós procrastinamos, nem que seja um pouquinho, pois quando focamos em uma certa tarefa, isso significa que não estamos trabalhando em outras. O que quer dizer que estamos “procrastinando” essas outras, porém, é necessário listá-las e priorizá-las para conseguir executar e focar em uma tarefa de cada vez.

Especialistas dizem que é até possível treinar o seu cérebro para executar duas tarefas ao mesmo tempo, mas de qualquer maneira o foco ficará dividido, não dando a devida atenção para apenas uma delas, causando a procrastinação de um, ou até dos dois afazeres.

O “segredo” é focar em uma tarefa de cada vez, com espaços de execução. Descobrindo o melhor intervalo de tempo que o seu cérebro trabalha, baseando-se na técnica chamada Pomodoro, onde você foca por 25 minutos em uma determinada tarefa, sem nenhuma distração e na sequência pausa por 5-10 minutos de pensamento livre ou distrações como “recompensa”, retomando a tarefa por mais 25 minutos de trabalho focado.

Cada ser humano é diferente, podendo adaptar este tempo, tanto de foco, quanto de intervalo. Muitas pessoas utilizam esta técnica de concentração para executar tarefas com mais eficiência.

Quando você olha para algo que realmente preferiria não fazer, parece que você ativa as áreas do seu cérebro associadas à dor. O seu cérebro, naturalmente, procura uma forma de parar com aquele estímulo negativo mudando a sua atenção para outra coisa. Mas aí está o truque.

Pesquisadores descobriram que não muito depois de as pessoas terem começado de fato a trabalhar naquilo que não gostavam, esse desconforto neurológico desaparecia. Portanto, parece que o que acontece quando você procrastina, é algo assim:

Você observa, e tem uma deixa para algo que cause um pequeno desconforto. Você não gosta disso, então, para fazer a sensação desaparecer, você afasta a sua atenção do que quer que seja que causou esse desconforto. Você se volta para algo mais agradável.

O resultado: você se sente mais feliz, temporariamente. Retomando para a atividade inicial, “enganando” o seu cérebro para o seu próprio bem.

Procrastinar é uma das maiores barreiras para uma execução eficaz. Desculpas são criadas automaticamente na mente de pessoas procrastinadoras. Elas adiam tarefas já pensando em qual desculpa podem usar, se tornando um grande aliado negativamente para o indivíduo.

Sendo assim, como evitar a procrastinação e consequentemente a Desculpability?

Chega de procrastinação (e desculpas)!

Mostraremos algumas maneiras que podem ajudar nos dois:

1- Organização e prioridades

Uma simples organização de tarefas, seguida de uma priorização, ajudam e muito o cérebro humano a se comprometer com certas atividades e visualizar o que precisa ser feito. Seja planos de curto, médio ou longo prazo, a visualização ajuda a concentrar e dedicar tempo para aquilo, não deixando para depois.

2- Não confunda trabalhar sob pressão com procrastinar

Sim, existem pessoas que trabalham melhor sob pressão, inclusive, elas conseguem ser mais produtivas com um prazo específico e um tempo limitado para isso. Entretanto, isso não tem nada a ver com esperar até o último minuto para começar a executar uma tarefa. O procrastinador sabe que tem que fazer, algumas vezes até sabe como fazer e acaba deixando para os “45 do segundo” tempo para iniciar, mas isso não o torna mais produtivo por estar sob pressão, pelo contrário, o torna mais tenso, ansioso e com o foco em outro lugar além do presente momento.

3- Desligue todas as distrações

Em um momento de foco, qualquer distração, por menor que seja, pode atrapalhar o seu fluxo de desenvolvimento. Seja uma mensagem no celular, alguém batendo na porta, o cachorro querendo brincar, etc. Por menor que seja a distração, tente evitar TODAS quando estiver no momento de concentração total.

4- Crie uma metodologia/regra contra a procrastinação

Com isso, queremos dizer que existem técnicas e ferramentas para não procrastinarmos algo. Vocês leram acima sobre a ferramenta mental chamada Pomodoro. Existe também a regra do 3, quando estiver postergando algo, conte até 3 e comece, não pense em mais nada, apenas comece. Tem também a técnica de fazer um passinho de cada vez, conhecida como baby steps, dividindo uma tarefa mais complexa em pequenos passos claros e controláveis e muitas outras técnicas, teste e descubra qual se encaixa melhor a você.

5- Conheça à SUA melhor maneira de executar tarefas

O autoconhecimento neste caso é importantíssimo, a partir do momento que você descobre como o seu cérebro trabalha da melhor forma, você encontra o “baú do tesouro”. Com o domínio de suas capacidades e habilidades, é possível se aperfeiçoar em torno delas, mas para isso é necessária a tentativa de diversas ferramentas antes de saber exatamente.

6- Seja Accountable

Você lembra que Accountability é trazer a responsabilidade para si e gerar respostas com resultados? Pois é, tendo isso em mente e o mais importante, praticando isso constantemente, você começa a ver resultados positivos, te afastando cada vez mais do estado de procrastinação e/ou desculpas, que no caso, só leva a frustrações e desequilíbrios emocionais conforme você não entrega o que foi combinado.

7- Se auto recompense

Parece “bobo”, mas faça e veja o poder que esta tática pode trazer. Crie consigo mesmo uma recompensa saudável, que estimule a se concentrar na tarefa e não procrastinar até que cada etapa esteja concluída. Pode ser um jantar, algo que você queira muito e está “procrastinando” para adquirir, um passeio, etc, seja criativo (a) e explore um mundo de recompensas.

8- Dica bônus: Esteja rodeado (a) de pessoas não procrastinadoras

Quando você se coloca em um ambiente com pessoas de alta performance, isso te puxa a não ser o medíocre do time/grupo/equipe. Em um ambiente saudável, onde a cooperação e o compartilhamento são essenciais, isso faz com que você queira cada vez mais atingir melhores resultados e isso significa não procrastinar tarefas importantes, na verdade, nenhuma tarefa.

Conclusão

Procrastinar e dar desculpas são parte do funcionamento do cérebro humano. Elas estão lá e não dá para eliminá-las para sempre, mas é possível adormecê-las até um ponto onde possam hibernar. Uma vez ou outra elas vão acordar, tudo bem, o que não pode é deixá-las tomarem conta do show. Essa parte é de total responsabilidade de cada indivíduo. Como domá-las e ter o controle a qualquer momento é o grande desafio.

É um fato que praticando a Accountability e eliminando as desculpas do repertório ajudam a diminuir a procrastinação diária.